17 ª Edição do Programa Atitude Educação

17 ª Edição do Programa Atitude Educação

No dia 27 de julho de 2021 em Nosso Programa Atitude Educação recebemos a nossa convidada especial , professora Edilma Tavares –
Assessora Pedagógica da YouEduc, Professora, Palestrante ,formadora de Professores com foco em Temas Transversais, Educação Formal e não Formal, Estágio Supervisionado e Saberes,Sujeito e Prática Docente.Pedagoga de Formação ,Especialista em Infância e Violência Doméstica pela USP e em Políticas Públicas,Gênero,Raça e Etnia pela UNB.Tem uma carreira de mais de 34 anos como docente, tendo experiência desde a Educação Básica até a Pós-graduação.
Após a apresentação da Formação Acadêmica da professora , a mesma foi convidada a falar sobre ela ,sobre sua trajetória profissional e sua atuação.
A professora Edilma partilhou experiências muito interessantes sobre a sua trajetória e foi muito bom ouvir as situações tão ricas que dividiu conosco.
A professora Edilma Tavares discorreu sobre o que é a Formação Básica/ Inicial e a Formação Continuada/Complementar de professores.
Também nos falou sobre :
• O Artigo 63 da Lei de Diretrizes e Bases, (LDB) que se refere à Formação Continuada.
• Lei aprovada em 2020 que trata da RESOLUÇÃO – CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO/CP Nº 1, DE 27 DE OUTUBRO DE 2020
Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica (BNC-Formação Continuada).
A professora comenta que a Legislação foi aprovada em plena pandemia, sem a devida participação dos meios acadêmicos, entidades de classe, sem ouvir os professores e os órgãos que os representam. Na opinião da professora , a resolução já nasce engessada, pela forma que ela foi colocada, sem muita discussão e participação dos envolvidos da esfera educacional. Até 2022 os professores terão Formação Continuada com base em 10 competências, e que essas competências devem seguir o que diz a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), mas a questão deixa a desejar, pois o ideal seria que os articuladores tivessem conseguido uma maneira de abrir espaço à discussão.
• A importância de se conhecer e discutir a teoria nas nossas reuniões e encontros coletivos, pois segundo ela, a prática pela prática é vazia e que não se pode valorizar a teoria e esquecer a prática e vice-versa.
• A preferência de muitos professores pelas Formações Continuadas com enfoques para a prática, direcionadas para as questões da auto- estima e espiritualidade. Não que ela não ache importante , mas que não se pode esquecer da base , de ter um fundamento teórico e de compreender com clareza o que se está fazendo, para se ter condições de avaliar e questionar as propostas que chegam, referentes à formação de professores.
• O cuidado para que a Formação aconteça de fato continuada e não de maneira fragmentada/”descontinuada”, como chama a professora Edilma. E ela questiona: Quantas redes, quantas escolas possuem um programa , um projeto de Formação Continuada?
E completa: palestras e cursos são atualizações e não Formação Continuada, pois essa por sua vez necessita ter um caráter discussivo, referente à prática e leva à busca de meios para o alcance dos objetivos.
A professora nos relata experiências de outros Estados e os meios que buscam para que todos sejam alcançados.
E continua:
• O professor que tem conhecimento do seu trabalho, do seu papel; tem propriedade de se posicionar e questionar o que é preciso, com uma postura de quem se apropria dos conhecimentos e saberes pertinentes à sua profissão.
• A responsabilidade que tem caído, cada vez mais, sobre os ombros do professor, da Educação, pois todas as questões sociais são colocadas no Currículo.
• Importância da valorização e do reconhecimento do professor e do seu papel na sociedade.
• Importância do professor – pesquisador , não somente em relação à formação acadêmica, mas no chão da escola, da sala de aula; de buscar, de procurar caminhos para resolver problemas.
• Cuidados em relação ao mercantilismo/comercialização das formações , pois na Formação Inicial, houve um aumento muito grande de faculdades (sem intenção de expor) e que algumas buscam o capital, sem a preocupação de oferecer uma formação de qualidade. O mesmo ocorre na Formação Continuada , pois se começou a negociar, valorizando a quantidade de certificados para a progressão funcional e essa questão se tornou um problema, pois muitas formações foram se dando pelo certificado e não pela importância de aprender . O professor deixou de ter um olhar de aprendiz ; daquele que aprende para aperfeiçoar sua prática e de oferecer o melhor para seu aluno, passando a ser um profissional que só está preocupado em ter uma comprovação para poder ascender profissionalmente e ter uma melhoria salarial.
• É preciso também ter o cuidado com as propostas que não valorizam o lado pensante do professor.
• O professor precisa estar aberto ao novo, tornar-se um profissional pesquisador, estar engajado num processo colaborativo, gostar e acreditar no que faz para evitar tantos problemas que o afetam.Se apropriar das tecnologias, como ferramenta para o trabalho.
• A era do conhecimento, fará com que o professor, por meio de seu “fazer pedagógico”, provoque seu aluno a pensar e o mostre possibilidades e espaços de voz, de autonomia.
• Valorizar o espaço de escuta do estudante.
• A professora ressalta as novas aprendizagens, por parte de nós professores, nesse período desafiador de pandemia, e que todos mostramos que somos capazes de aprender.
E ressalta que professor é um eterno aprendiz!
A professora Edilma Tavares ainda partilhou conosco muitas e importantes informações e considerações .
O momento foi muito importante .Muitas pessoas participaram por meio do chat e WhatsApp da rádio, elogiando a fala, a pessoa e o trabalho da professora Edilma.
Foi um imenso prazer para nós da Rádio Comunidade FM ter a participação da professora Edilma Tavares conosco, trazendo informações e excelentes contribuições para todos que estiveram conosco e que ainda assistirão esse momento pelas redes sociais.
Gratidão à professora Edilma Tavares; ao Jota Júnior, que garante, tecnicamente, a realização do programa e que com sua experiência tanto nos auxilia; a todos os envolvidos direta e indiretamente e a todos que estão sempre conosco, assistindo e participando todas as terças-feiras às 20 horas do Programa Atitude Educação, um programa que preza pela valorização da Educação e que deseja levar à comunidade informações de qualidade.

Eliane Andrade

admradio

admradio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Peça sua Música!