22ª Edição do Programa Atitude Educação

22ª Edição do Programa Atitude Educação

No dia 14 de setembro de 2021 foi realizada a 22 ª Edição do Programa Atitude Educação.
Esteve conosco a professora Alessandra Lopes- Professora do Centro de Ensino Especial do Gama. Pedagoga e pós-graduada em Docência do Ensino Superior

Tema: A superação, maior que os desafios encontrados na vida, como professora com deficiência visual

Iniciamos a nossa conversa com a apresentação da professora Alessandra.
Em seguida, a professora nos contou como foi :
• Infância, início de sua história de superação;
As escolas onde estudou;
• Desde quando e como foi a decisão de ser professora?
• Por que a escolha do Centro de Ensino Especial?
•Quais objetivos ao optar pelo Ensino Especial?
•Maiores desafios e principais conquistas ao longo da trajetória pessoal e profissional;
•Para quais alunos leciona no Centro de Ensino Especial do Gama e como realiza o seu trabalho?
• Paralelo entre a escola que estudou e o atendimento para os deficientes visuais atualmente. Mudanças e avanços;
•Leis que asseguram os direitos dos deficientes visuais. Como avalia o cumprimento das mesmas?
• Além da formação acadêmica , o que costuma trabalhar com os alunos, a fim de que busquem melhorias para suas vidas e que consigam enfrentar os desafios encontrados;
• Mensagem para uma pessoa que assiste o programa e se sente incapaz ou desmotivado a lutar por seus objetivos;
• O que pretende fazer após a aposentadoria. Quais são as metas, os sonhos!?
A participação com a professora Alessandra foi de uma riqueza muito grande para nós da Rádio Comunidade e nossos ouvintes.
Uma bela história de superação e de conquistas.
No final do programa, a professora Alessandra cantou uma linda canção para nós –
Tudo Posso – Celina Borges .
A música tem uma mensagem de fé, esperança e persistência, assim como a história da professora Alessandra.

https://youtu.be/FgVLVKMkgq0

Entrevista com a professora Alessandra :
•Apresentação :
Sou Alessandra, muito feliz pela vida que Deus me deu; pela família, e pela minha mãe, que tanto contribuíram para o alcance de todas as minhas conquistas. Sou pedagoga, pós-graduada em docência do ensino superior. Desde criança fui apaixonada pela música e pelo rádio. Tinha um sonho de ser locutora. Sempre gostei muito de crianças, de cantar e brincar com elas. Quando iniciei o trabalho no CEE 01Gama, dei aulas de música nas turmas de 4 a 12 anos aproximadamente. atividade com a qual me identifiquei muito. Assim meus atendimentos foram se ampliando. Passei a atuar também nas turmas de estudantes com Deficiência múltipla e outras, o que se tornou um maior desafio para mim, nos 15 primeiros anos de profissão. Em seguida, passei a atuar em uma turma de estudantes com deficiência visual e intelectual, o que me proporcionou grande realização profissional.

• Infância , início de sua história de superação, escolas onde estudou e se eram preparadas para atendê-la :
Minha infância foi vivenciada de forma muito natural e tranquila. Eu interagia muito bem e brincava com as crianças do jardim de infância no Plano Piloto onde estudei. As atividades eram preparadas por uma professora itinerante que me acompanhava. Tanto em casa quanto na escola, trabalharam comigo a independência. Ao estudar nas escolas em Ceilândia, já não havia esta preparação da mesma forma. Dentro do possível, os professores foram aprendendo como lidar com aquela nova realidade, inclusive, alguns se superaram, no sentido de adaptar materiais para ensinar conteúdos de matemática, e de sentar-se perto de mim para explicar a matéria. Mesmo assim, precisei me esforçar para acompanhar as atividades, copiando o conteúdo com o auxílio dos colegas que ditavam e liam para mim.

• Desde quando e como foi a decisão de ser professora:
Tomei esta decisão no último ano do Ensino Fundamental. Comecei a pensar como seria gratificante ensinar pessoas a escrever e ler em Braille, algo que passei a gostar tanto, ao ouvir o relato da minha irmã, que falou da excelência do trabalho de professoras com deficiência visual no Instituto de Cegos em Goiânia.

• Por que a escolha por lecionar no Centro de Ensino Especial?
Para realizar meu sonho, ensinar o Braille, o que não foi imediato.

• Os maiores desafios e as principais conquistas de sua trajetória:
Os maiores desafios foram: a comunicação com os estudantes que não usam a oralidade, ou apresentam dificuldades na compreensão de comandos; dificuldades na produção de documentos institucionais. As conquistas foram: criar habilidades na contação de histórias; produção de diversos materiais sonoros; acreditar no meu potencial e dos estudantes, e receber deles a consideração, o respeito, o cumprimento das atividades propostas, enfim, o reconhecimento profissional por parte dos pais.

•Para quais alunos no CEE Gama você leciona? Como realiza o trabalho!?
Alunos com deficiência visual e intelectual. Realizo o trabalho com a utilização de material concreto, jogos de encaixes, texturas, contato físico, muita oralidade, para estimular a audição e o tato.

• Paralelo entre a escola que estudou e como é a escola para os deficientes visuais hoje. Mudanças e avanços
A escola que estudei pouco dispunha de recursos materiais adequados. Hoje, isso se tornou mais fácil, bem como evoluiu a preparação de profissionais que lidam com esta realidade.

• Quais são as leis que asseguram os direitos do Deficiente Visual? Como avalia o cumprimento das mesmas ? O que pode ser feito para melhorar!?
Dispõe sobre a obrigatoriedade do cardápio em Braille;
Passe livre para ele e o acompanhante;
Atendimento preferencial para ele e o acompanhante;
13146: Garante: atendimento prioritário em repartições públicas, hospitais, bancos e órgãos de iniciativa privada;
Aquisição de veículo automotivo com trinta por cento de desconto;
Prioridade de matrícula nas escolas;
Ampliação de tempo na realização de provas, concursos;
Cinco por cento das vagas para pessoas com deficiência;
Mais divulgação; mais vontade política; fiscalização e exigência para que se cumpram; que os governos façam valer o que garantem.

• Além da formação Acadêmica o que a senhora costuma trabalhar com seus alunos a fim de que busquem melhorias para suas vidas e que enfrentem os desafios encontrados:
Sempre procuro aconselhá-los no sentido de que se relacionem bem com seus familiares e demais pessoas, pois eles necessitam de auxílio e acompanhamento no cotidiano. Trabalho a independência contando minhas experiências; procuro mostrar a importância de que eles cuidem do próprio corpo, dos seus pertences, e que ajudem nas tarefas de casa.

• Qual a mensagem para uma pessoa que assiste o nosso programa e se sente incapaz ou desmotivado a lutar por seus objetivos?
Acredite em você! Você é capaz! Sempre nos momento de desafio, repito para mim: “Tudo posso naquele que me Fortalece”

• Quanto tempo falta para a sua aposentadoria ?O que pretende fazer após a aposentadoria ?
Quais são suas metas? seus sonhos?
Falta pouco. Estar na presença de Deus e servi-lo; cuidar de mim, da minha família, dedicar-me ao estudo da música e às leituras de minha preferência; quem sabe, fazer um programa de rádio…

Eliane Andrade

admradio

admradio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Peça sua Música!