Precisamos lutar por uma vida menos plástica.

Elas são até práticas, flexíveis e descartáveis, mas ao serem melhor observadas, as sacolas plásticas reúnem em um só produto as principais características da vida moderna.
Nos últimos anos esse símbolo da sociedade de consumo vem ganhando adjetivos negativos, tais como :poluidora, antiecológica e politicamente incorreta.
Desde 1970, as sacolinhas servem somente para duas coisas: carregar as compras do supermercado e embalar lixo doméstico.
Os ambientalistas nos chamam a atenção para o descarte dessas sacolas de forma errada, pois são elas que entopem os bueiros causando alagamentos nas cidades.
O ciclo de vida dessas sacolas é de 100 anos e elas são mais de 10% do lixo produzido, abarrotando assim os aterros sanitários. Quando são levadas para os rios, acabam matando os animais marinhos por asfixia.
O fato é que a natureza ainda não conseguiu, até agora, encontrar um meio para “digerir” essas sacolas, que são nela descartadas. A solução então seria a própria sociedade se livrar desse incômodo.
Mas como fazer isso?
Algumas prefeituras e governos de Estados Brasileiros tentaram criar leis que proibissem o fornecimento de sacolinhas em supermercados, porém os representantes da indústria de plástico recorreram à Justiça, que por sua vez considerou os projetos de lei inconstitucionais.
Acredito que para transformar essa realidade, precisamos começar mudando nossos hábitos diários, compartilhando conhecimento e exigindo que marcas e indústrias também se preocupem com o resíduo que geram.
Precisamos conscientizar as gerações mais novas. Se não tratarmos esse assunto nas escolas, outras medidas não irão adiantar.
A reciclagem e a reutilização, são o segundo e o terceiro passos. O primeiro é não gerar o lixo poluente. Precisamos tratar o problema na raiz e isso se fará por meio da educação ambiental.
Segundo o Ministério do Meio Ambiente, a sacola plástica em si, não é a maior vilã do Meio Ambiente, mas sim o uso excessivo e o descarte inadequado.
Se trabalharmos para tirar as sacolas plásticas de circulação, substituindo-as por um material biodegradável, estaremos trabalhando para o melhoramento da questão ambiental, não somente no Brasil, mas no mundo.

Hélio Silveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Peça sua Música!